Wednesday, December 31, 2008

Feliz Ano Novo!

Que este ano que todos dizem que vai ser negro, mau, de crise, difícil, etc, etc, etc, seja na verdade um ano cheio de cor, feliz, de abundância, com tudo a rolar a todo o gás e recheado de tudo aquilo que vocês mais desejam! Em todo o caso, estarei aqui, "na alegria e na tristeza", para vos ouvir, tentar ajudar e, claro, para vos obrigar a aturarem-me! Beijinhos e abraços!

Kings Of Leon - Use Somebody

Mais uma... Esta até a Mariana cantarola!

Kings Of Leon - Sex On Fire

Um dos bons discos de 2008

Wednesday, December 24, 2008

Monday, December 22, 2008

Pérolas XII

– Mamã, quero chocolate!
– Não comeste já "porcarias" na festinha da escola?
– Não.
– De certeza?
– Não, estou a dizer a verdade. A fruta foi massa com puré.
– Massa com puré?
– Sim. Mas era doce.
– Hmm... Era aletria?
– Sim, era isso!

Friday, December 19, 2008

Bom dia!

Christmas Is All Around (Love Actually)

Wednesday, December 17, 2008

Mais ridículo não se pode ser...

E isto esteve no poder quanto tempo?...
(desculpem, mas não quis deixar de partilhar este vídeo convosco)

Good morning!

Pois que decidi quebrar um pouco o gelo que paira por aqui e por todo o nosso gigantesco País. Não tem sido um mês fácil. Tão pouco fácil que tive férias na última semana de Novembro e a sensação que me dá é a de que isso já foi há muito, muito tempo.
Como sabem alguns de vocês, calhou-me em rifa, há uns meses, um trabalho importante, uma feira que decorreu de 11 a 14 deste mês na Exponor. Who cares? A verdade é que as semanas anteriores ao evento foram bastante intensas e cansativas e A SEMANA do evento, a passada, mais desgastante ainda.
E não, não só pelo trabalho e pelas horas extra. Sobre o meu estaminé, como de costume neste tipo de eventos, estava uma placa bem grande que dizia "PRESS". Mas, já se sabe, estando ali mesmo à portinha, todo o bicho careta vinha ter connosco. A saber: "Eu tenho convite, é preciso trocar por bilhete"?; "Onde são as conferências de arquitectura"?; "Onde é a casa-de-banho"?; "Menina, quero bilhete para os cabalos"!; "Tenho este cartão, mas a cabine não funciona e não encontro mais nenhuma"... Um must, digo-vos eu, um must.
E prontos. Segue a vidinha por aqui, enquanto estou em contagem decrescente para o Natal. Até já!

Tuesday, December 9, 2008

Bob Marley - Three Little Birds

Every little thing is gonna be allright!

Friday, December 5, 2008

Oláaaaaaaaa!!

Agora que os meus dedos descongelaram momentaneamente, aproveito para deixar aqui bem claro que esta casa não está devoluta, não ardeu, não foi penhorada pelos meus amigos das Finanças, nem tão pouco foi fechada pela ASAE.
Pois que estive uma semaninha de férias, outra de trabalho já se passou entretanto, é verdade, mas não é menos verídico que o frio, além de me limitar os movimentos e arruinar a paciência e o bem-estar, tolhe-me a imaginação. E, já sabemos, isso é a morte do artista. Não que eu seja a verdadeira artista, mas... Preciso de uns pós de isto e daquilo para mandar uns bitaites, é um facto.
Vai daí, não tenho grandes novidades para vos contar. Já aviei as prendas de Natal quase todas, tenho dito muitos palavrões por causa do frio, shame on me, e para a semana vou trabalhar até cair. Ah, e ontem, que a taxa de juro desceu para os 2,5%, percebemos que a nossa prestação atingiu o valor mais alto de sempre e irá repetir-se em Janeiro e Fevereiro. Bem catita!
Um grande bem-haja para vocês! Até já...

Friday, November 21, 2008

Who's next?

Depois do Oliveira e Costa, bem podia ser o Oliveira Costa...

Tuesday, November 18, 2008

A parte boa da coisa...

... e, no estado em que estou hoje, até comovente, é os amigos aparecerem a dar-me o seu apoio. Obrigada a todos, do fundo do coração.

Pormenor adicional

Estamos a falar do mesmo Estado que desde Agosto de 2007 não me paga o Abono de Família.

Uma bela prenda no sapatinho

Chegou ontem e logo animou as hostes. O Estado, que anda ocupado a recolher migalhas junto daqueles que não têm dinheiro para mandar cantar um cego e deixa os verdadeiros devedores à solta e a rir de fininho, fez-me chegar uma belíssima missiva. Pela voz da Direcção-Geral de Contribuições e Impostos, sou notificada a pagar mais de 800 euros, relativos ao dinheiro não declarado que recebi n'O Primeiro de Janeiro em 2004. Até 17 de Dezembro. O que posso pedir mais?
1 – Não ser tratada como uma criminosa por uma filosofia, ou forma de actuar, que fui obrigada a seguir, sob pena de ficar sem emprego, quer por despedimento, quer por um eventual encerramento na sequência de inspecções, o que veio a verificar-se depois de elas se terem concretizado;
2 – Perceber por que é que sou eu que tenho de pagar impostos sobre um valor que a empresa alegadamente me pagou como ajudas de custo, se era essa mesma empresa quem tinha de apresentar recibos dessas despesas;
3 – Algum bom senso por parte dos senhores da DGCI, que na sequência de uma inspecção vão "atacar" como lobos uma série de pessoas (não é o meu caso, felizmente) que foram atiradas para o desemprego, cobrando-lhes dinheiros insignificantes para o Estado;
4 – Ver o Sr. Eduardo Costa a pagar tudo o que deve ao Estado e aos seus ex-funcionários, essas sim, verbas de encher o olho e que justificariam uma actuação séria e intransigente por parte do Estado e das autoridades competentes.
5 – Ver pessoas como esta atrás das grades, pagando pelos crimes que consecutivamente comete e pelo número de pessoas que prejudicou ao longo do tempo.
Posto isto, e um pouco à margem desta questão, gostaria também de perceber por que é que tesos como eu e muita, muita gente, têm de continuar a sacrificar-se enquanto a economia mundial se auto-destrói e os governos injectam dinheiro nos mais ricos, nos bancos, nos fabricantes de automóveis, sei lá mais o quê!!! Nos que TÊM dinheiro!... Alguém me ajude a perceber alguma coisa, pois eu cada vez percebo menos!!

Thursday, November 13, 2008

Continua a ser possível piorar

E já agora... Que tal olhar para dentro e aceitar a sugestão da manchete?...

Wednesday, November 12, 2008

Un frio de cojones

Estava eu, na minha inocência, à procura de imagens que ilustrassem o frio, esse terrível mal que não me dá tréguas, quando dei com isto:

Tuesday, November 11, 2008

E bem melhor: o mais puro e verdadeiro amor

Numa das noites do fim-de-semana passado, a Mariana acordou a meio da noite. Levantou-se, veio ao nosso quarto, foi dar um beijinho ao papá, veio dar-me um beijinho, foi à casa-de-banho fazer xixi e voltou para a cama dela.

A verdade da mentira – agora sim

A verdade da mentira, dizia eu, porque sim; ouve-se histórias, estórias mal contadas; ninguém paga, ninguém pune, mente quem quer, acredita quem não sabe. Uma lástima. Trocam-se palavras mal medidas, inventa-se, destrói-se, engana-se!... Há coisas por dizer, frases que ficam a meio, outras vestidas de falso. Universos paralelos onde nada mais paira para além da mentira, do falso, da pura alucinação, ou pior, da invenção. Amigos que trocam as palavras, os cenários, os momentos. Não são amigos, não são de verdade. Não são.

Saudades!

Bruce Springsteen - Tougher Than The Rest

Monday, November 10, 2008

A verdade da mentira

É um bonito título para um post, não é?
Mas agora não tenho tempo.

Belíssima ideia

Há pouco, enquanto lia uma das 527 revistas do dia, encontrei publicidade a uma agência de viagens online. A dita cuja chamava-se ... LEITE CREME!... E eu pergunto-me: por que não chamá-la "Um Xuto no Cu", "Pão de queijo" ou até mesmo "Golo na Própria Baliza"?

Friday, November 7, 2008

Dúvida existencial

O que é que acontece se tirarmos uma pen ou um dispositivo USB sem antes fazer "remover harware com segurança"? O computador derrete? A pen sai a voar? O mundo pára?

Sono II

Hoje quando vinha a chegar aqui à zona do estaminé, que há ano e meio se encontra rodeada de obras, vinha "como quem bem da zona do porto de Leixões ou da ponte móbel e tem de boltar à direita para passar em frente ao mercado". E na altura de virar à direita soltei um "Oh não! A rua está fechada!". E fui em frente.
Conclusão: a rua estava abertíssima ao trânsito... Sono, insanidade, alucinação?
Pouco depois, entro no prédio do escritório, meto-me no elevador e carrego no rés-do-chão. E ele não se mexe. E eu também não. "Não anda"? Hmm... "No rés-do-chão já eu estou, vamos agora tentar carregar no 4.º"...

Thursday, November 6, 2008

Sono

Hoje tentei abrir a porta da rua do meu prédio com a chave automática do meu carro. Carreguei duas vezes, mas por qualquer misteriosa razão, ela não se mexeu.
Bom dia!

Friday, October 31, 2008

Muito bom!

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHH!

Foi a minha reacção ao aperceber-me, há pouco, do aparecimento da minha primeira branca. É oficial, estou mesmo a ficar velha!!!

Queridos Anos 80 - 1 de Novembro - Radio Bar

É já no próximo sábado que o mundo assistirá ao regresso das noites Queridos Anos 80. Dia 1 de Novembro, o RADIO Bar receberá os sons da década dourada da pop, na sua 16ª edição, uma edição muito especial ou não se comemorassem cinco anos sobre o primeiro post deste blogue. Sim, já passaram 5 anos! Por isso estão todos convidados a aparecer, no RADIO Bar, junto à Alfândega do Porto. O Ivo T e o tarzanboy esperam por vós para mais uma noite memorável!

É de mim...

... ou está um frio do carai? Ninguém me preparou para isto, não.
QUERO IR PARA AS CARAÍBAS!!!

Monday, October 27, 2008

Pérolas XI

Sexta-feira, ao chegar a casa da escola:
– Mamã, a Maria já está com micrómis na cabeça!
– Está com quê?
– MICRÓMIS!
– Mariana... Micróbios ou piolhos?
– É isso!
(a Mariana não apanhou, by the way... Até ver...)

Wednesday, October 22, 2008

Pérolas X

(e esta é a melhor de todas)
– Mamã, eu amo-te muito!

Um cheque-prenda??

Eu, que luto há meses para receber o abono de família, com cujo simpático (...) valor deixei de contar pouco depois de ter mudado de estaminé por uma sucessão de más informações e por desconhecimento meu de algumas manhosas burocracias, fui ontem brindada com um cheque da Segurança Social no valor de 66, tal euros. Uma carta do Totta (?) com o cheque lá dentro, em meu nome. Não sei a que se refere, o que tenho a receber, o que não tenho... Não trazia qualquer carta a acompanhar.
Mas como, na altura em que finalmente tratei de pôr tudo direitinho, me fiz acompanhar de uma carta cuidadosamente elaborada a explicar o processo que me levou a estar mais de um ano sem receber aquilo a que tenho direito, pode ser que seja a minha compensação pelo bonito português com que a escrevi. Ou então não. Ou talvez me mandem restituir o dinheiro. Não sei. O que sei é que tenho bem mais a receber.

Pérolas IX

(Parados num sinal vermelho, dentro do carro)
– Está verde para os piolhos!

Thursday, October 16, 2008

Crónica de jogo (ou não)

Como cidadã honesta e trabalhadora que sou, apenas pude ir para Braga depois de "despegar". Saí às sete em ponto, a minha amiga Lurdes fez o favor de me vir buscar e seguimos caminho. Tive direito a boleia, bilhete e merenda, além, sobretudo, da excelente companhia. O que podemos pedir mais?
... Uma vitória?...
Meia horita até Braga e eis se não quando, a bons quilómetros do estádio, trânsito parado. Pára e arranca durante cerca de uma hora. A possibilidade de conseguir estacionar o carro ou descobrir um parque parecia cada vez mais remota. Enfim, a escassos cinco ou dez do início do jogo, um golpe de sorte e a ajuda de um agente da PSP (!) levou-nos a pôr o carro num passeio onde já cabiam apenas mais dois.
Chego ao estádio e ouve-se o hino da Albânia. As bancadas têm muito pouca gente: ainda está tudo cá fora a tentar entrar. Para meu espanto, além de me deparar com a falta de indicações que me permitam descobrir por onde devo entrar, vejo que só uma porta está aberta para duas bancadas. Mandam-me para cima, para o outro lado; chego lá a cima, mandam-me para baixo, de regresso ao sítio onde estava. Já se cantou a Portuguesa, já começou o jogo. Agora, finalmente, abrem as portas todas para dar vazão às centenas de pessoas que ainda não conseguiram entrar.
Finalmente entro no estádio, mas um pouco mais à frente surge outra fila. Fujo, porque as dezenas de pessoas que estão ali pagaram o seu bilhete e estão num estádio em que a organização é zero, estão a ficar revoltadas. Vou para outra porta, nova fila - temos de meter o bilhete numa máquina que verifica a sua autenticidade. Sem ajudantes que acelerem o processo.
Depois de finalmente passar a máquina, descubro que estou num parque de estacionamento subterrâneo. Ou seja, há dezenas de pessoas a passar a pé e carros a passar ao mesmo tempo. Faz sentido.
21h00. Finalmente entro, o jogo já começou há quase 15 minutos. Só se vê gente em pé, a entrar, à procura do lugar, gente na bancada errada, gente no sector errado. Desde que cheguei às imediações do estádio vi pouquíssimas indicações de bancadas, sectores, estacionamento, o que fosse. Braga posso jurar-vos que nunca mais.
Quanto ao jogo, não me vou alongar, foi a merda que todos sabemos. Sim, continuo pé-frio mas, sobretudo, sim, foi uma vergonha. Há uma falta de vontade, de união, de espírito de sacrifício gritante. Tudo o que havia antes. E afinal não é assim tão fácil de conseguir.
Pelo meio, aparece o Macaco líder a perguntar se o lugar ao meu lado está ocupado. Não vinha de fogánte na mom, nem tão pouco com qualquer adereço alusivo à nossa Selecção. E claro que lhe disse que estava ocupado. Mesmo que não estivesse...
Chega o fim do jogo e aquele melão. Mas ainda há mais. Saímos do estádio razoavelmente bem, lá passámos pelo meio dos carros que abandonavam o parque de estacionamento, descemos o monte (é mesmo, a sério) e chegámos ao carro. O caos. A rua era a que dava acesso à outra bancada, com uma subida íngreme no final, centenas de pessoas a descer a pé, carros que não andam nem para um lado nem para outro, carros a sair de um parque, carros a sair dos passeios. E tudo parado. Desligámos o motor e estivemos ali uma boa meia hora. E perguntam vocês: e polícia? Havia lá vários, de facto, mas estavam de mãos nos bolsos a admirar a situação.
Cheguei a casa já passava da meia-noite. Irritada com a noite miserável da Selecção e incrédula com a situação terceiro-mundista que tinha acabado de viver. Futebol em Braga, nunca mais!

Wednesday, October 15, 2008

Taixa com a Selecção

Hoje vou a Braga ver a Selecção. Espero não ser o pé-frio do costume!
Hasta!

Monday, October 13, 2008

E o burro sô eu?

É o que o mister deve estar a dizer lá em Londres, depois de a nossa selecção ter conseguido, em três jogos, uma vitória, uma derrota e um empate. Sendo que a derrota foi em casa, algo que nunca aconteceu na [longa] era de Scolari. Mas o curioso é que não vejo os nossos assanhados opinistas de garras afiadas prontinhos a atacar, como aconteceu no passado recente... Ele há coisas!...

Só uma perguntinha...

Que droga andarão a dar à Manuela Ferreira Leite?
(é qualquer coisa que lhe faz parar o cérebro, é)

Wednesday, October 8, 2008

O filme mais estúpido da história

Ontem à noite, passava já da 1 hora, estava a dar um filme na RTP1 que poderia muito bem ostentar aquele título. E mais agora, que acabei de descobrir que esta foi nada mais, nada menos do que mais uma excentricidade de Michael Jackson, que gastou dois milhões de dólares para o fazer. Chama-se «Miss Naufrágio» («Miss Cast Away») e goza com quase todos os filmes que nos vêm à memória.
Imagino o diálogo entre os responsáveis pelo guião:
– Era fixe pôr um grupo de gajas boas a naufragar numa ilha deserta onde afinal vive Noé, mas um Noé igualzinho ao Gandalf the Grey, guardada por um porco chamado Jurassic Pork e dominada por macacos iguaizinhos aos do «Planeta dos Macacos»!
– E podiamos também pôr um gajo que voa numa vassoura como a do Harry Potter a tentar salvá-los!
– E que tal elas serem comidas por um tubarão gigante quando estão quase, quase a ser salvas?
– Boa!
– E não esquecer as típicas frases feitas dos filmes americanos e um bater de continência aqui e ali!
– Claro! E podemos também pôr uma nave como a do E.T.?
Deve ter sido mais ou menos isto. Mas mais profícuo e alongado, porque eu digo isto com base nos 10 ou 15 minutos de filme que vi.

A pedido de algumas famílias...

... e porque o silêncio neste espaço, de facto, já se tornava ensurdecedor, cá estou. Peco por não andar com um moleskine atrás de mim onde escreva todas as ideias que me assolam o pensamento. Na hora da verdade, que é basicamente quando chego aqui e posso escrevê-las, tudo se cala.
Quem me conhece bem sabe que sou moçoila de calor, de dias longos e quentes, de sol abrasador, e que esta entrada no Outono mexe de forma algo abrupta com todo o meu sistema. Sobretudo porque não tivemos um Verão que fosse merecedor do seu nome. E agora chuva, frio, vento, noite cedo?... Ninguém me preparou para isto. Isto passa.
Depois há as finanças, a crise mundial, os problemas de uns e de outros. Estar no trabalho e ouvir um "isto está difícil", chegar a casa e escutar outro "isto está difícil", ligar a televisão e ouvir falar do pânico que invadiu o mundo financeiro, a queda das bolsas, os bancos que fecham, a Islândia na bancarrota... Irra! Depois pedem a uma pessoa para ser optimista?
Ah... Boa, boa (que o teu pai vai para Lisboa... ishh... desculpem)! As taxas de juro finalmente desceram! Espero que isso traga finalmente algum desafogo à minha deprimida conta bancária. E que me traga mais boa disposição, para que esta neura sazonal se ponha a andar bem depressinha!

Sunday, September 28, 2008

Monday, September 22, 2008

O adeus ao Verão e a neura de segunda-feira... a dobrar

Como já nos tem habituado, o Google anuncia hoje, desta forma, a chegada do Outono. Ora, vá lá que eu até acho o Outono uma estação linda, pela forma como pinta as paisagens. Mas, antes de mais, o Outono representa o fim do Verão. O fim da minha estação. Que este ano, ainda por cima, pouco se fez notar aqui para estas bandas. Hoje estou como o dia. Como se já não chegasse ser segunda-feira e estar este dia que parece nem ter amanhecido, ainda acabou o Verão.

Wednesday, September 17, 2008

Grande lata!!!

A BP ignorou o apelo do ministro da Economia, Manuel Pinho, que ontem apelou à baixa do preço dos combustíveis, e subiu o preço da gasolina em 1 cêntimo, mas baixou o litro do gasóleo em cêntimo e meio.

Desculpem qualquer coisinha

Não sei se atentaram nos jornais dos últimos dias, mas houve uma notícia que me ficou na retina. E é claro que, se não tivesse reparado nela, o Paulo Maia não teria deixado passar tal assunto despercebido (...).
No domingo passado, decorreu o 5º Encontro Nacional de Coxos, organizado pela Associação Nacional de Coxos. O presidente da dita cuja defendeu, na ocasião, que "seria fundamental, para sensibilizar as pessoas para a situação dos coxos, que houvesse o reconhecimento oficial do Dia Nacional do Coxo". A 23 de Março (o porquê da data não sei, mas de certeza que deverá ter uma explicação interessante). E abrilhantou ainda que "se houvesse deputados coxos, o dia já era nosso".
Ora... Não será um bocadinho de mais? Que tal instituirmos também o Dia Nacional do Sofredor do Mal Denominado Bicos de Papagaio e o Dia Nacional dos Transplantados da Anca?

Conhecem?

Sabeis vós quem é esta senhora?
Pois, eu também não sabia, até ela ter aparecido, ontem, a falar. Como vice-presidente do PSD. Chama-se Sofia Galvão. E mesmo assim, já apareceu tantas vezes nos últimos dois meses como a presidente. Por isso, se calhar não devia causar estranheza o facto de não a conhecermos.
Agora, olhando para o facto de o(s) PP(s) ter(em) escondido o afastamento do seu vice-presidente durante um ano e ninguém ter reparado, tudo parece normal. Afinal, este é um partido minúsculo, e quando olhamos para o segundo maior partido do País, constatamos que não lhe conhecíamos a vice-presidente. Eu não, pelo menos. Se vocês sabiam quem era a senhora, peço desculpa pela minha ignorância. Até.

Thursday, September 11, 2008

Um grande obrigada à ANA...

... por ter ajudado tanto na decisão da Ryanair de não instalar a sua base na cidade do Porto. É incrível como qualquer coisa boa para a cidade morre sistematicamente à nascença.

O meu peixe morreu

Morreu o meu peixe. Aquele cor-de-laranja que cresceu de forma a quase não caber no aquário. Eu que ainda na véspera tinha dito: "Toda a gente que tem peixes diz que eles duram pouco, e eu que nunca quis peixe nenhum tenho um filho da p... que dura há três ou quatro anos". Foi. Morreu de desgosto, ou pelas minhas simpáticas palavras, ou pelo jogo da selecção. À uma da matina lá estava ele a boiar. E não, não morreu à fome, nem com a sujidade, que o aquário estava limpo.
Agora espero que não façam outra vez a brincadeira de me oferecer outro bicho daqueles. Eu gosto de animais. Muito, a sério. Mas uma coisa é ter um animal que interage connosco, outra coisa é ter um bicho dentro de um aquário. E custa-me ter em casa um animal que não me diz nada. Não quero outro. Acho que a única coisa mais estúpida do que ter um peixe é ter um grilo. A vantagem do peixe é que não incomoda toda a gente num raio de sete quilómetros. A desvantagem é que vive no mesmo sítio onde faz cocó. "Metex-me noxo", diria o outro.
Em suma, peixes, não obrigada. Este já lá vai, e tenho pena de não ter tido gosto em tê-lo em casa. Por isso é que não quero mais.

As minhas modestas fotos...

Wednesday, September 3, 2008

Os Contemporâneos - Acordeonistas

Finalmente encontrei na net... Um dos meus preferidos!

Oube lá...

QUE MERDA É ESTA??

Começa cedo...

Disse-me a Mariana ontem, quando regressei do trabalho:
– Sabes, hoje foi um menino novo à escolinha!
– Ai sim? Como se chama?
– Chama-se Gustavo. Tem os músculos muito fortes e é deste tamanho (fazendo o gesto com a mão), e não gosta de couves nem comeu a comida toda!

...
(sabe-la toda... músculos, é... com a idade dela nem sabia o que isso era...)

Eles já andem aí!

Eram perto das 10 horas quando ouvi os primeiros biões. Espero que o tempo sorria no fim-de-semana. E ter hipótese de dar uma espreitadela!

Tuesday, September 2, 2008

É isso...

... Como já repararam, estou de volta. Contrariada, é certo, mas não tive outro remédio se não descer à vida real. Cá vai a musiquinha que hoje me despertou no apressado caminho para o trabalho. Bela escolha de vídeos, by the way.
Bom dia para todos!

Quem há-de aguentar?

O Dalai Lama esteve internado num hospital com dores abdominais e... um esgotamento. Um esgotamento?! O Dalai Lama? Valha-me. Se ele não aguenta, quem aguentará?

Friday, August 22, 2008

Obrigada!...

... ao Nélson Évora, por, apesar de carregar nas costas todo o peso da esperança de um País inteiro, ter a cabeça que quase todos os outros não tiveram e mostrar que é o melhor entre os que com ele competem.

Thursday, August 14, 2008

Agora sim!!

Estou de férias!!!!! E ainda mais disponível para a LUTA. :)
Bem a propósito, não percam o sucesso deste Verão na tasca do senhor meu marido.

Dando no duro...

... para poder ir de fériaaaaaaaaaas!

Tuesday, August 12, 2008

É fazer a conta... e mandar pagar!

Ora dizia eu, depois da prova da menina portuguesa do badminton, que durou apenas meia hora, que uma atleta que vai aos Jogos Olímpicos e só consegue estar em prova meia hora devia pagar a deslocação... Pronto, vá, eu sei que ela estava com dores de cabeça. Coitada, pá. Já o nosso representante no mesmo desporto – que, confesso, não sei quanto tempo se aguentou em competição –, queixou-se do vento. Num pavilhão.
Mas houve quem aguentasse CINCO minutos. Cinco, isso mesmo. Foi Débora Nogueira, na esgrima. Ora, se quem fica meia hora devia pagar a sua deslocação até Pequim, a quem só aguenta cinco minutos devia ser aplicada uma multa, não?
Que cansaço, este fado! Telma Monteiro é vice-campeã do mundo e campeã da Europa. Ficou em nono lugar. E queixou-se da arbitragem. E ainda disse que tinha qualidade para ganhar a qualquer uma das outras judocas!! João Neto é campeão europeu. Confesso que ainda não sei em que lugar ficou, mas quedou-se bem longe das medalhas. Justificação, ainda não ouvi.
No tiro, João Costa lidera o ranking mundial. Ficou em 33º lugar entre 45 concorrentes. Nem à final chegou. Diz que a prova correu mal. Hmmm...
Os da natação, nem desculpas costumam arranjar. Estão simplesmente a anos-luz de todos os outros atletas. Por isso, nem se esforçam por lamentar as consecutivas prestações vergonhosas com que nos brindam. Naqueles que batem o record nacional, ainda dá para acreditar, esforçaram-se qualquer coisita. Agora há quem nem chegue perto! Numa piscina onde são pulverizados recordes do mundo e com fatos xpto?!
Ah, no remo, a dupla Jorge Lima / Francisco Andrade foi desclassificada numa das regatas. Tudo teve a ver com a instalação de uma câmara de vídeo da organização na cana do leme, que acabou até por partir... Protestaram, mas ninguém lhes deu razão.
Sei que estou a esquecer-me de alguns dos atletas lusos que nos primeiros três dias de Jogos Olímpicos nos têm dado alegrias atrás de alegrias. Por isso, e para não ferir susceptibilidades, peço, desde já, as minhas sinceras desculpas!
Aos que ainda hão-de entrar em prova, desejo melhor sorte (e empenho e concentração e menos complexo de inferioridade e menos fado).

Friday, August 8, 2008

Opinião de Baptista-Bastos*

*in Jornal de Negócios, 08-08-08

Empresa d'«O Primeiro de Janeiro» foi multada*

*in Público, 08-08-08

É hoje, e o Google, como sempre, está em grande

LET THE GAMES BEGIN!

Os restos mortais

O que resta daquele jornal onde trabalhámos durante anos, a que descarada e despudoradamente chamam agora «O Primeiro de Janeiro», sai hoje com 24 páginas. Melhor ainda, com duas, DUAS, páginas de Porto – perdão, «Local» – e uma de Regiões.
Need I say more?

Thursday, August 7, 2008

A opinião de José Pacheco Pereira*

*in revista «Sábado», 7 de Agosto

Em cada esquina há um amigo

Caros amigos,
A primeira e única vez que aqui escrevi sobre o que estava a acontecer n'«O Primeiro de Janeiro» foi exactamente há uma semana. Um dia em que imaginava "apenas" a extinção do título e em que, apesar da brutalidade e da sacanagem do que já havia sido feito, estava longe de prever, como todos vocês, certamente, os contornos de todo este inqualificável golpe.
Ainda me custa acreditar nisto tudo. No desplante, na crueldade, no baixo nível, para dizer pouco, destas pessoas (?) que durante anos ostentaram um título nobre da cidade para, no final de contas, apenas o destruírem, enxovalharem e, mais importante, espezinharem toda uma equipa constituída por jornalistas que dedicaram, tal como eu, os melhores anos das suas vidas a tentar levantar e devolver o prestígio a «O Primeiro de Janeiro».
Ainda me custa acreditar nisto tudo. Continuo a afirmar que nem na pior das teorias da conspiração alguém poderia ter imaginado um golpe como este. Mas o que é mesmo irreal é este criminoso continuar a fazer truques, a recorrer a hábeis artimanhas, a prevaricar, a cometer variadíssimas e consecutivas ilegalidades... E continua à solta, impune, livremente aparecendo em cerimónias públicas! E provavelmente continuará a receber verbas do Estado e apertos de mão de governantes que não mexem um dedo contra um indivíduo que TODA a gente sabe que é um crápula, mas, sobretudo, um criminoso! Continuará a ser elogiado por governantes que nada fazem perante a aflitiva situação de mais de 30 pessoas que nada mais fizeram do que cumprir com honestidade, brio e profissionalismo anos e anos de trabalho!
Isto, para só falar dele. Isto, deixando de parte uma directora que pura e simplesmente virou costas a um grupo de trabalho em quem, alegadamente, confiou ao longo de oito anos, um grupo de trabalho que nunca, apesar das condições, se furtou ao cumprimento das suas funções, jamais a deixou ficar mal. Onde está a dignidade? Onde está a lealdade?
Só há uma palavra para estas duas pessoas: VERGONHA.
Quanto a vocês, meus caros amigos, mais uma vez apenas provaram aquilo que eu já há muito sabia: a vossa força é única, insubstituível. Durante esta semana, conseguiram manter-se de PÉ – aqueles que não tiveram vergonha, ou medo, de mostrar a cara. Conseguiram que todos falassem de «O Primeiro de Janeiro» e essa poderá ser a única forma de alguém fazer alguma coisa perante toda esta lamentável situação.
Continuem activos, continuem a LUTA, não esmoreçam, por favor, não baixem os braços. Mostrem a estes crápulas que pessoas como vocês têm de ser tratadas com respeito e que os criminosos têm de ser punidos pelas ilegalidades que cometem.
Vocês sabem que tenho estado sempre bem perto, e que farei sempre tudo o que estiver ao meu alcance para vos ajudar. Não se esqueçam: em cada esquina há um amigo. Aproveitem-no(s).

Friday, August 1, 2008

Vocês sabem quem são e quem eles são

Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Porque comprar o que não tem perdão
Porque os outros têm medo e tu não.

Porque os outros são os tumultos caiados
Onde germina calada a podridão
Porque os outros se calam mas tu não.

Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis mas tu não.

Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos
Porque os outros calculam mas tu não

Sophia de Mello Breyner Andresen

Thursday, July 31, 2008

Até sempre...

Não poderia deixar que o dia de hoje acabasse sem vos dedicar algumas palavras. São elas de tristeza, de uma profunda mágoa, por ver extinguir-se um símbolo do Norte, de luta, de persistência.
O Primeiro de Janeiro.
Uma história de 140 anos que se esfuma assim, com dúbias explicações e poucas certezas, e sobretudo com uma gigantesca falta de carácter que não espelha, muito pelo contrário, a forma de estar deste jornal portuense.
Uma história de 140 anos em que entrei durante uns aparentemente curtos oito anos. Onde aproveitei cada linha do guião para aprender o mais que pude, até me cansar. De o ver cair, de o ver maltratado, de o sentir a dar-me pouco em troca. A mim e a todos os outros que lá deixaram a sua marca, o seu saber, o seu entusiasmo, o seu honesto trabalho.
Onde construí grande parte da minha vida de hoje e onde estarei ligada até ao fim dos meus dias. Pelo que tenho, mas também porque nunca lhe virei costas depois de sair. Porque quis manter-me ligada a ele.
Como lamento este triste desfecho. Vivi um dia mau, hoje, e vocês todos sabem que não poderia deixar de ir ter convosco. Perdoem-me se foram parcas as palavras, mas continuo incrédula, sem saber o que dizer, o que sentir ou pensar.
É com uma tristeza muito forte e com uma revolta imensurável que vos escrevo. Não há como qualificar a forma como vos deixam assim, sem chão, sem rede. Não é justo, vocês não o mereciam. Aplaudo a forma correcta e digna como se comportaram até ao fim desta história. Sois um exemplo de coragem. Por isso, com toda a certeza, este não será mais do que um simples ponto de viragem nas vossas vidas, o empurrão que é chocante mas que vos vai levar a voos muito mais ajustados para a vossa grandeza.
Coragem, amigos! O caminho que está à vossa frente apenas vos levará a dias bem melhores.

Wednesday, July 30, 2008

O primeiro almoço de domingo

Foi um dia para recordar. Pela primeira vez, o Pedro e a Maria Carolina foram almoçar a casa da Vovó e do Vovô. Já estavamos à mesa, antes de eles chegarem – os minutos passavam –, praticamente a fazer apostas sobre a hora a que conseguiriam passar a porta de entrada... Quando ouvimos a chave, não houve quem resistisse a ir à entrada dar as boas-vindas aos novos membros da família. Num daqueles carrinhos gigantescos, lado a lado, ela a dormir, ele de olho aberto, acabavam de chegar pela primeira vez a um lar que muitas vezes os abrigará. O pior vai ser conseguir pregar olho ali, quando lá estiverem o irmão mais velho e os dois primos... A luta, nesta visita de estreia, foi mesmo essa: conseguir manter os decibéis da Mariana, do Joãozinho e do Filipe a um nível minimamente compatível com o sono dos bebés. O Pedro e a Maria, com pouco mais de duas semanas, foram quem se portou melhor: dormiram, passearam de colo em colo, estiveram na caminha de olhos abertos... Sempre num sossego. Tão lindos, os meus sobrinhos!

Voltando a Rui Rio...

... Acho patético ver a Via Rápida e alguns pontos da cidade pejados de mupis a fazer publicidade ao «Sea Life». Típico deste executivo. A obra acabou de ser aprovada, já é chamada por todos de "oceanário"... Vai ser motivo de chacota, está-se mesmo a ver. E já há publicidade por todo o lado!
Na semana passada, qual não foi o meu espanto quando, alguns dias depois de terem arrancado as obras de acesso ao viaduto da Prelada, que existe há mais de 20 anos, me deparei com uma faixa verde de um lado ao outro da dita estrutura. Lia-se "Viaduto da Prelada: o acesso que faltava!". E era, naturalmente, da Câmara do Porto. Que desplante, senhor! A obra, além de ser aguardada há mais de duas décadas, estava prometida por Rui Rio para 2006. Pelos vistos, entretanto alguém teve um laivo de bom senso, e a faixa não mais ali esteve do que um dia.
A cidade está toda esburacada, há ruas em paralelo que destroem literalmente os nossos já sofridos carros e outras de alcatrão que já mais parecem de pedra. Não vejo a autarquia a fazer trabalhos de repavimentação numa única rua. Um só exemplo: a Rua Pedro Hispano, um ponto fulcral de saída da cidade, ainda hoje é em paralelo e tem valas e lombas dignas de um safari. Inacreditável! Na semana passada, porém, andaram a repavimentar a (nova) rotunda (em alcatrão) do Bessa, que, não sei se já disse, estava nova. Alguém pode explicar isto?
Os ecrans da autarquia espalhados pelo Porto, poucos, felizmente, continuam a analtecer os grandes (?...) feitos do executivo de Rui Rio ou a denegrir todos aqueles que o contrariam. O mesmo acontece no site da CMP. A cidade, para mim, continua parada e num clima de mesquinhez nunca visto. Mas disso falarei adiante.

Friday, July 25, 2008

Tear down the walls

Quarenta e cinco anos depois de John Kennedy, Barack Obama esteve em Berlim, onde discursou para uma frenética plateia de mais de 200 mil pessoas. Perante os nossos distraídos olhos, ontem escreveu-se mais uma página da história moderna e é certo que este dia será no futuro tão recordado como aquele do "Ich bin ein Berliner".
Apesar de não ter chegado a tanto, Obama declarou-se um cidadão do mundo e mostrou-se preocupado com a necessidade de Estados Unidos e Europa voltarem a unir esforços na defesa de vários objectivos comuns, sublinhando que não há maior aliado para os EUA do que o Velho Continente. Por isso, apelou, no local perfeito, à necessidade de derrubar os novos muros que dividem os povos.
Falando em frente à Coluna da Vitória – a chanceler alemã não permitiu que discursasse nas Portas de Brandenburgo, onde até hoje apenas falaram líderes, nunca candidatos –, o democrata levou verdadeiramente ao delírio os milhares de cidadãos que ali se juntaram. Desta forma provou que a Europa não virou costas aos Estados Unidos, mas sim ao vergonhoso reinado de George W. Bush, que continua a ter efeitos desastrosos em todo o mundo. Exortou uma "nova geração, a nossa geração, a deixar a sua marca na História". Barack Obama, com toda a certeza, já o fez.

Wednesday, July 23, 2008

Cif§ão??

É verdade que não costumo propriamente defender o presidente da Câmara do Porto, mas no que toca à demolição do Bairro do Aleixo, até que estou do lado dele. Mas isso não interessa nada para esta questão – independentemente de ter razão ou não, "Rio cabrão, só vê cif§ão (...)" é que não havia necessidade. Sempre achei que o insulto fácil imediatamente tira a razão a quem quer que seja.

Até se me choram os olhos...

Não consigo parar!!


Monday, July 21, 2008

Eu avisei...

...que o humor era de fugir.

A propósito...

Eu, que tirei um curso superior, aprendi não sei quantas línguas, sei mesmo tocar piano, até no ballet andei e tudo e tudo e tudo; eu, que trabalho desde os 18 ou 19 anos, vejo o chão a fugir-me dos pés, assim como infelizmente acontece a muitos como eu. Mas vejo outros, que não estudam, não trabalham, não pagam impostos, a receber dinheiro e direitos do Estado, a receber casas oferecidas, ou quase, pelo Estado, e a darem-se ao luxo de as escolher, rejeitar, não querer sair, não querer voltar, e por aí adiante.
Talvez se eu me despedir e despachar a casa a vida passe a correr-me melhor.

O País dos coitadinhos

Não querendo defender ninguém, que não quero mesmo, confesso que me intriga que ninguém ainda tenha referido o facto de aquelas imagens daquele pessoal aos tiros naquele bairro mostrarem pessoas que supostamente são vítimas e têm medo de voltar para casa armadas até aos dentes aos tiros no meio da rua. Eles, que alegadamente são vítimas e têm medo de voltar para casa, estão nas imagens aos tiros. Fui repetitiva?...

I'm back...

Estou de volta ao estaminé. E, posso assegurar-vos, o humor é do melhor...
Boa semana para todos!

Saturday, July 12, 2008

De férias...

Ao contrário do que possa parecer, este estaminé não está encerrado para balanço, obras, férias ou como sinal de protesto contra o que quer que seja. Eu, sim, entrei ontem de férias. Mas hoje, segundo dia de descanso, ainda não sinto aquela descontracção evidentemente fundamental para que possa desfrutar da melhor forma destes dias longe do trabalho.
Ora acordo cedíssimo porque a menina vai para a praia, ora acordo cedíssimo porque a menina tem a festa da escolinha. Ora respondo aqui a 328 "porquês", ora vou ali pela milésima vez dizer "tens de dormir porque amanhã vais acordar cedo". Prometo uma posta sobre os "porquês" da Mariana em breve - haja memória para fixar algumas das dezenas que surgem diariamente.
Claro que estou contente por estar de férias, não é isso. Mas os dias são daqueles que fogem muito, muito depressa, e ainda por cima tenho variadíssimas coisas daquelas bem boas para tratar - Segurança Social, Finanças (!!!!!!!!!!!!!!!...), documentos. Falta ainda ganhar coragem para tratar este dente que me anda a massacrar.
Agora, o que realmente está a bulir-me com os nervos é este Verão que não chega ao Porto. Não podendo sair daqui da metrópole, seria bom aproveitar uns raios de sol e fazer uma prainha, só um bocadinho, vá. Mas... Eu sei que está sol, mas é que tem estado frio! Estamos em JULHO, please!... E hoje estou aqui sentada a escrever e está um verdadeiro ciclone lá fora. Nem me dá vontade de pôr um pé fora de casa. QUERO CALOR, QUERO VERÃO!
E é isto. Desculpem lá qualquer coisinha, foi só um desabafo. E estava mesmo a precisar. Afinal de contas, esta casa é minha, por isso...

Tuesday, July 8, 2008

Já nasceram!...

... os meus queridos sobrinhos! Estão bem e recomendam-se. Parabéns aos papás. Façam o favor de ser felizes.

Monday, July 7, 2008

Desculpem, só uma dúvida...

Por que raio é que o JJ está sempre irritado com o mundo? E por que carga de água tem tanto tempo de antena?

Friday, July 4, 2008

A praga está de volta

Como poderão lembrar-se os mais atentos leitores deste berloque, há pouco mais de um ano postei um textito sobre a época de caça... aos mosquitos. Pois é, meus caros, este ano vem mais tarde, mas finalmente chegou. Ao contrário do calor.
Agora que acordo vezes infinitas de noite com medo que já seja hora de acordar a menina e prepará-la para a praia, chegaram também os odiosos, inúteis e temerosos chupistas voadores. Esta minha primeira luta, porém - e felizmente -, foi curta. E mortífera.
Duas horas. Durmo profundamente, drogada até ao tutano com antibiótico, anti-inflamatório, entre outros antis que não pretendo aqui descrever. Surge aquele ruído traumatizante no meu ouvido. Acendo a luz. Olho as paredes, o tecto, os candeeiros. Nada. Mais um filho da p... sabidola. Dez minutos de grande esforço para manter os olhos abertos e alerta. Nada.
Dez, quinze minutos depois, apago a luz. E passam-se apenas alguns segundos até que El Matador (obrigada à minha coleguinha pelo sugestivo nome) volte sorrateiramente a sobrevoar a minha cabeça. Acendo a luz outra vez. Está na minha mão. Onde tenho uma picadela. Mas eu não tenho coragem de o matar no meu próprio corpo, há que chamar o Exterminador habitual. Que, à primeira tentativa, não falha.
Aguardo com receio as noites quentes. Ainda assim, espero que cheguem.

Hinos à estupidez

Não é que eu perca muito tempo a olhar para os anúncios da televisão, mas, assim como reparo em anúncios muito bem feitos, também não sou indiferente aos mais estúpidos. Nestes casos que vou comentar, um é o próprio produto que é ridículo, o outro, é a publicidade que pode ser adjectivada da mesma forma.
1. - Nutela Snack and Drink. Estamos a falar daqueles copinhos que têm uns pauzinhos para pôr no chocolate. Nunca achei piada, mas tudo bem, cada um é como cada qual. Mas agora... Pauzinhos, chocolate e... ice-t??? É o produto mais estúpido da história! Podiam, já agora, acrescentar um bocadito de papel higiénico no mesmo pack, não vão os meninos, depois de matar a fome e a sede com este belo snack, ter vontade de fazer um cocó...
2. - Skip. "As crianças têm direito a andar com a sua roupa preferida". E aparece um puto vestido de Homem Aranha. Mas há algum estúpido que deixe o filho ir mascarado para a escola num dia normal só porque é a sua roupa preferida?... Dass... Como se já não tivesse bastado o "É bom sujar-se"!...

Thursday, June 26, 2008

Parabéns!


Cinco anos, já, minha princesa! Como o tempo passa depressa! Às vezes tenho saudades de ti assim pequenina, de pegar em ti ao colo sem ficar de rastos (...), de seres mais fácil, apesar de tudo, de perceber e de contentar.

Mas a maior parte do tempo não é assim. Tenho sempre medo de que nunca estejas satisfeita com o que tens ou com aquilo que os teus pais fazem, é verdade, mas ao mesmo tempo és a criança mais feliz que eu já vi. Esse teu sorrisso, os teus olhos, a tua alegria de viver são a força que me continua a mover dia após dia, numa vida que, como um dia irás perceber, não é nada, mas nada fácil.

Por mais voltas que se dê ao texto, é impossível fugir ao lugar-comum, minha princesa. És realmente a razão suprema da minha existência, por ti me movo, no teu sorriso me realizo e com os teus mimos me sinto superior. Felizarda por ter a coisa mais preciosa do mundo, que és tu.

Um dia, quando fores mais grandinha, espero que venhas ler estas palavras que aqui te deixo. Para já, vou-te dizendo, como ontem à noite te sussurei: amo-te. Parece mais fácil de perceber, pelo menos para já... Mas, na verdade, não há linhas de blocos, blogues ou o que for que o consigam explicar. Amo-te, princesa. Parabéns!

Monday, June 23, 2008

Saturday, June 21, 2008

Pensamento do dia*

"Quem me dera que não existisse trabalho nem escola. Só a rua e as casas e as outras coisas todas menos aquelas".

*Mariana Reis Ribeiro

Chegou o Verão!


Friday, June 20, 2008

Eles é que arrumaram connosco...

Pois é, lá se foi. Por um lado, sinto-me aliviada. Porque além de não ter de stressar mais, não vamos, depois destes dias de ressaca, continuar a viver esta febre anti-Scolari. Não é o melhor treinador do mundo, errou várias vezes – ainda ontem isso aconteceu –, mas ninguém lhe tira o facto de ter conquistado os melhores resultados de sempre da nossa Selecção.
Se perderam a final com a Grécia, antes ninguém à final tinha chegado... Se teve uma Selecção cheia de grandes jogadores, outros houve que tiveram um grupo campeão do mundo que nunca conquistou o que quer que fosse, nem tão pouco chegou lá perto. A «Geração de Ouro», o que fez? Foram campeões do mundo de sub-20, e depois? Houve algum treinador que desse continuidade ao valor e ao trabalho daquele grupo?
Mas só importa criticar quem fez melhor, se calhar simplesmente porque não é de cá ou porque é teimoso ou porque é mal disposto com os jornalistas. E, por aí mesmo, não acredito que aguente seis meses em Inglaterra.
Não ouvi ninguém falar do Europeu miserável que fez o Cristiano Ronaldo. Um jogador que quer ser o melhor do mundo – que eu acho que é, como já aqui mostrei –, não pode brilhar apenas nos jogos de quem lhe paga milhões. Tem de suar a camisola e mostrar que é mesmo o melhor nos campeonatos do Mundo e da Europa. Não o fez. Foi um jogador vulgar. Mas, de certeza, a culpa também deve ter sido do seleccionador...
Não ouvi ninguém falar de mais uma arbitragem muito tendenciosa, que até a realização da transmissão tentou esconder. Na primeira parte, com 0-2, terá havido um penálti por marcar, nem uma repetição deu. Quando um português fazia falta, dava cinco repetições. Na segunda parte, com 1-2 e Portugal a pressionar muito para chegar ao empate, a Alemanha vai uma única vez à nossa baliza e faz o 1-3. Em falta. "É falta, mas não atenua o erro da defesa", ouvi um comentador dizer. Como não atenua, se o jogador que está a marcar quem faz o golo é empurrado?
Não ouvi ninguém falar da vergonha que é um guarda-redes sair sistematicamente de olhos fechados a lances pelo ar, como aconteceu nos segundo e terceiros golos. É confrangedor, o Ricardo. Confrangedor. Espero que não volte a ser o número 1 depois da era Scolari.
Para mim, a revelação deste Europeu foi Deco. Um jogador brilhante que tinha feito uma má época e depois, na Selecção, fez isto. Notável. Espalhou classe e perfeição sempre que jogou. Este sim, suou verdadeiramente a camisola. Uma camisola que até nem é a que devia vestir, mas da qual claramente se orgulha, e mais do que outros.
Espero que a Selecção não entre em depressão pós-Scolari. Não imagino alguém a conseguir reunir de novo este espírito em torno dela. E se calhar é melhor. Porque também não acredito que se faça melhor do que ele fez nos próximos tempos. Espero, claro, estar enganada. Quem vier a seguir, que faça melhor. Afinal, tem jogadores para isso.

Thursday, June 19, 2008

Vamos lá mandar os teutónicos para casa...

Se não se importam, hoje não quero que se despeçam do Europeu. Quero que façam um daqueles jogos de encher o olho e a gentileza de garantir a passagem às meias-finais. Que este falso e habilidoso "Portugal é favorito" se concretize e se prove mais real do que nunca. Da minha parte, tentarei não ter um ataque cardíaco, muito embora esteja já a ficar agitada. Agitada é a favor. Ah, e também ajudava que estes dois senhores partissem tudo. Força, Portugal!

Lembrando Pessoa II

Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem achei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não tem calma.
Quem vê é só o que vê,
Quem sente não é quem é,
Atento ao que sou e vejo,
Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem,
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.
Por isso, alheio, vou lendo
Como páginas, meu ser.
O que segue não prevendo,
O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
O que julguei que senti.
Releio e digo: "Fui eu"?
Deus sabe, porque o escreveu.
Fernando Pessoa

Wednesday, June 18, 2008

Lembrando Pessoa

O que há em mim é sobretudo cansaço
Não disto nem daquilo,
Nem sequer de tudo ou de nada:
Cansaço assim mesmo, ele mesmo,
Cansaço.
A subtileza das sensações inúteis,
As paixões violentas por coisa nenhuma,
Os amores intensos por o suposto alguém.
Essas coisas todas -
Essas e o que faz falta nelas eternamente -;
Tudo isso faz um cansaço,
Este cansaço,
Cansaço.
Há sem dúvida quem ame o infinito,
Há sem dúvida quem deseje o impossível,
Há sem dúvida quem não queira nada -
Três tipos de idealistas, e eu nenhum deles:
Porque eu amo infinitamente o finito,
Porque eu desejo impossivelmente o possível,
Porque eu quero tudo, ou um pouco mais, se puder ser,
Ou até se não puder ser...
E o resultado?
Para eles a vida vivida ou sonhada,
Para eles o sonho sonhado ou vivido,
Para eles a média entre tudo e nada, isto é, isto...
Para mim só um grande, um profundo,
E, ah com que felicidade infecundo, cansaço,
Um supremíssimo cansaço.
Íssimo, íssimo. íssimo,
Cansaço...


Álvaro de Campos

Tuesday, June 17, 2008

Wednesday, June 11, 2008

Saturday, June 7, 2008

Tuesday, June 3, 2008

Pois pois

"Mata Mouros contra uso de escutas no Apito Final"
Com esse nome, outra coisa não seria de esperar...

Assim, escolher é fácil!

Ontem passeava em Brito Capelo quando o avançar das horas e o ronco do estômago me fizeram olhar para o menu de um restaurante exposto cá fora. E ele era simplesmente o mais esclarecedor com que já me deparei:

Sugestão do dia

Sopa do Dia
Peixe do Dia
Sobremesa
Café

ou

Sopa do Dia
Prato de carne
Sobremesa
Café

Monday, June 2, 2008

Vi um destes em Dublin


Onde é que eu já tinha lido isto?...

Friday, May 30, 2008

O meu lado Malucos do Riso

Mas aqueles bonequinhos ali em baixo também não são conhecidos como os Fuwa dels Baus?

Eu sei. Peço desculpa.

Fuwago!

É engraçado que os chineses estejam tão indignados com as declarações de Sharon Stone, que sugeriu que o terramoto poderá ser castigo pela forma como tratam o Tibete. Mas é mesmo engraçado, porque esta indignação parte de um povo que está seriamente convicto de que as catástrofes que têm assolado o país foram provocadas pela «Maldição dos Fuwa». Os Fuwa, para que não sabe, são as mascotes dos Jogos Olímpicos de Pequim...
Aliás, digam lá, olhando para eles, se não têm um ar sinistro...

Thursday, May 29, 2008

Como?

"Quem gosta de peixe fresco vai passar a comer bifes"

(manchete do jornal «Meia Hora» de hoje)

Subam mais, que o povo é sereno

Confesso que ontem estava num daqueles dias em que disparo em quase todas as direcções. É a porcaria do tempo que me está a pôr doida, é pôr o Telejornal e levar com a dureza das notícias e... mistura explosiva! O João é que tem razão: mais vale ver o Noddy pela 540ª vez!!
Esta escalada do preço dos combustíveis em Portugal é inqualificável. Seja pela forma como está a processar-se, seja pela ausência total de explicações – quer do sector privado, quer por parte do próprio Governo, que continua a escudar-se na impossibilidade de baixar o imposto. Eu acho que atingimos o absurdo, o gozo completo e descarado com uma população que já não tem mais saída para a brutalidade dos gastos que tem face aos miseráveis salários que recebe.
Mas no meio disto tudo, o que eu acho ainda mais inacreditável, e até revoltante, é o facto de vivermos num País surreal, em que o povo pode ser espezinhado, não ter pão para a boca, ter a corda na garganta, e ainda assim não vai para a rua. Já vimos esta semana vários protestos pela Europa fora – e note-se que falamos de uma proporção, apesar de também grave, menos gritante –, e aqui ninguém faz nada! "Ah, vamos boicotar a Galp", "Ah, vamos boicotar a Repsol", "Ah, no dia 1 não se põe gasolina". Francamente. Grite-se na rua, bloqueiem-se estradas, paralise-se um País. Haja dignidade.

E não é que somos mesmo complicadas?

Quando, há uns tempos, se conseguiu finalmente descodificar o genoma humano, confesso que me passou ao lado se se falava de homens ou mulheres... Mas a verdade é que "apenas" ontem, e depois de já se ter sequenciado o genoma de alguns homens e de vários animais (...), um laboratório holandês (creio) conseguiu realizar a primeira sequenciação completa do genoma de uma mulher. O que me leva a concluir que sim, somos complicadas, mas há boas explicações para a nossa interessante complexidade...

Tuesday, May 27, 2008

Mariana dentuça missing a tooth

Antes...

Depois...

Este sim, foi o alinhamento

May 23, 2008
Dublin, Eire
RDS Arena

Night
Radio Nowhere
No Surrender
Lonesome Day
The Promised Land
Magic
Trapped
Murder Incorporated
Darlington County
Prove It All Night
She's The One
Livin' In The Future
Mary's Place
Girls In Their Summer Clothes
Devil's Arcade
The Rising
Last To Die
Long Walk Home
Badlands
Jungleland
Born To Run
Glory Days
Dancing In The Dark

(o manuscrito foi alterado ao longo do concerto)

Monday, May 26, 2008

Primeira amostra






Hoje não tenho tempo para vos contar grande coisa, mas asseguro-vos, em primeiro lugar, que Dublin vale a pena visitar. Em segundo lugar, embora por ordem inversa no meu coração, digo-vos que o Bruce continua em forma. Adorei. Mais vos descreverei adiante.
Entretanto, mais e melhor aqui.

Primeiro aniversário

O meu blog fez um ano! Espero que esteja a valer a pena passar aqui de vez em quando. Obrigada aos que o fazem. Aos outros, lamento a sua existência menos rica. :)

Wednesday, May 21, 2008

Vapt vupt

Vou num pé e venho no outro, é verdade, mas prometo trazer histórias para contar. E garanto-vos que amanhã, por esta hora, beberei uma bela pint enquanto penso carinhosamente em todos vós...
Até ao meu regresso, no dia em que esta minha humilde casa celebrará um ano de vida.

Tuesday, May 20, 2008

Só para enrolar

Não tenho grande merda para dizer, é verdade, mas é que já me irrita entrar no meu cantinho e levar com as fuças do Marco Paulo. Portanto a ver se aquilo vai um poqito mais para baixo. Xô xô!!

Friday, May 16, 2008

Que saudades!...


Eu, como sou amiguinha, e não sou nada egoísta, não quis deixar de partilhar convosco tão bela imagem.

Esta dá-me muita vontade de dançar


Duffy - Mercy

Quem fala assim não é gago...

"Os meus caracóis marcaram uma época"
Marco Paulo
in Destak

Thursday, May 15, 2008

Dublin também vai ser isto...

... e isto

Falta uma semana!...


Bruce Springsteen & the E Street Band, 28-09-2007, New York

Long Walk Home

Last night I stood at your doorstep
Trying to figure out what went wrong
You just slipped somethin' into my palm, then you were gone
I could smell the same deep green of summer
Above me the same night sky was glowin'
In the distance I could see the town where I was born

It's gonna be a long walk home
Hey pretty darling, don't wait up for me
Gonna be a long walk home
A long walk home

In town I passed Sal's grocery
The barbershop on South Street
I looked in their faces*
They were all rank strangers to me*
The veteran's hall high upon the hill
Stood silent and alone
The diner was shuttered and boarded
With a sign that just said "gone"

It's gonna be a long walk home
Hey pretty darling, don't wait up for me
Gonna be a long walk home
Hey pretty darling, don't wait up for me
Gonna be a long walk home
It's gonna be a long walk home

Here everybody has a neighbor
Everybody has a friend
Everybody has a reason to begin again

My father said "Son, we're lucky in this town,
It's a beautiful place to be born.
It just wraps its arms around you,
Nobody crowds you and nobody goes it alone
You know that flag flying over the courthouse
Means certain things are set in stone
Who we are, what we'll do and what we won't"

It's gonna be a long walk home
Hey pretty darling, don't wait up for me
Gonna be a long walk home
Hey pretty darling, don't wait up for me
Gonna be a long walk home
It's gonna be a long walk home
It's gonna be a long walk home
Hey pretty darling, don't wait up for me
Gonna be a long walk home
Hey pretty darling, don't wait up for me
Gonna be a long walk home
It's gonna be a long walk home
It's gonna be a long walk home

Wednesday, May 14, 2008

Hmmmmm

Cá para mim, ao entrar no avião, deram-lhe um «Boa Viagem» para a mão e ele, para ser simpático, lá fez o favor de fumar um.

Smoking Socras

Eu quero lá saber se o homem fumou num avião, num casino ou na banheira... "Ah e tal foi ele que proibiu"... Pois foi, mas se prevaricou, que pague a multa. Precisou de fumar, que diabo! Que ser primeiro-ministro deste bananal deve dar stress e muita vontade de fumar, não? Podemos censurá-lo por isso?
Muito se escreve e teorizará sobre este pecado do nosso PM. Mas eu, na minha modesta opinião, acho que seria muito mais interessante tentar descobrir por que é que ele, em todas, e mesmo todas, aparições não oficiais – ao serviço do seu partido – traja de castanho. Já repararam?

É piada, não?

Ouvi ontem nas notícias que os Estados Unidos se preparavam para oferecer à China uma ajuda de cerca de 500 mil euros. Pensei ter ouvido mal. Mas não, hoje, para meu (estranho) espanto, confirmei-o na internet. 500 mil euros dá jeito, dá. Bem bom. Pena para os estates – é para aí menos quê? um tanque? um míssil? uma bomba? Tão amiguinhos.

E que tal esta musiquinha para começar o dia?


Iggy Pop - Livin' on the Edge of the Night

Hilária Clinton


Mas a mulher, de verdade, está sempre com esta cara e a fazer este gesto? Nunca ninguém lhe disse que apontar é feio?

Friday, May 9, 2008

I can't see a single breathing soul, but I could really use a cup of tea

Esqueçam os milhares e milhares de mortos, as décadas que se seguirão com meninos e meninas com malformações, as muitas doenças, a pulverização de tudo quanto mexe e respira. No topo das preocupações dos planos de contingência britânicos em caso de um ataque nuclear está a escassez dramática de chá. I rest my case.

Thursday, May 8, 2008

Boa viagem


Podia ter-se chamado «Mais um prego» ou «Faz-te bem, faz», ou até mesmo «Boa sorte». Mas não. Chama-se «Boa Viagem» e é o novo tabaco proveniente dos Açores com que me deparei hoje na papelaria aqui da paróquia. Não resisti, claro está, a fotografá-lo, não fossem vocês pensar que era mentira. Mas é mesmo verdade.
O que eu gosto mesmo de imaginar é aquilo que terá passado pela cabeça dos crânios que deram nome a estes cigarros. «Boa viagem»? “Ah, sim, é um bom nome, levamos as pessoas a pensar que, ao acender um destes pitillos, embarcam numa autêntica viagem”. Mas, mas… Para onde? Para a cova? Para uma vida de dependência e tosse e ai-que-se-subo-isto-a-correr-fico-a-arfar? Mas… «Boa Viagem»? Tipo (“tipo”… muito adolescente, eu sei), “Ai vais fumar?? Boa viagem, então… Vais longe!”. Gente burra devia pagar mais imposto do que quem fuma. Arre!

Wednesday, May 7, 2008

Onde está a Primavera?

Digam-me, que eu preciso de saber.

André por Andreia

Já sabemos bem que a desgraça alheia dá frequentemente lugar – ainda por cima – a piadas de mau gosto (para alguns...). A arte de conseguir aproveitar esses momentos para fazer rir e, para ajudar, ainda lucrar com isso, é que é verdadeiramente especial.
A propósito do escândalo que envolveu Ronaldo, que contratou três prostitutas e foi surpreendido por três travecas, uma agência de publicidade brasileira criou um anúncio genial para a Varilux, uma marca de lentes para óculos: "Para não levar André por Andréia, use Varilux".

Wednesday, April 30, 2008

Mãe querida

Na paragem do metro, dois jovens adolescentes, com as hormonas aos saltos, intercalavam ruidosos e melosos beijos com diálogos de elevado coturno.
– O que é que vais dar à tua mãe?
– Uma chapada na boca, que é o que ela merece.

Por essas e por outras é que me dá saudades de andar de metro. Ouve-se tanta coisa estúpida, que daria para escrever um livro.

Wednesday, April 23, 2008

Falta um mês...


Bruce Springsteen & The E Street Band - I'll Work for Your Love
Milão - 28-11-2007

Terei ouvido bem?

Um padre brasileiro está desaparecido desde domingo, dia em que iniciou um voo suspenso em mil balões de hélio para tentar bater um recorde qualquer.
Padre? Balões de hélio?... Será que queria ir ao encontro do Senhor? Ou não resistiu e foi inspirando o hélio dos balões, um a um, para ficar com voz de desenho animado?
Entretanto ouviu-se um telefonema do dito sacerdote, pedindo socorro e que lhe explicassem como funcionava o GPS, pois, inteligentemente – ou não –, levou um, mas não sabia como lhe mexer... E ele queria dar as coordenadas e não sabia... Podíamos, quem sabe, ter finalmente ficado a saber onde está escondido Jesus Cristo.
Acho que não tinha ouvido nada tão estúpido desde que meia cidade de Lisboa parou depois de uma senhora ter atirado para as urtigas um frasquinho de enxofre!

Tuesday, April 22, 2008

Oh pá, coitada...


Já se escrevia, já...

É engraçado como isto de escrever é tanto de apetites como outra coisa qualquer. Pensava que escreveria sempre, tendo em conta que a toda a hora me passam mil e uma coisas pela cabeça, que estou constantemente atenta a tudo o que se passa à minha volta e que é algo que adoro fazer. Mas não.
Há coisas que me ocorrem e deveria anotar na hora, mas, deixando passar, nunca mais me lembro.
Há coisas provavelmente tão desinteressantes para quem me lê que não vale a pena escrever aqui.
Há coisas tão complexas que levaria longos minutos, talvez horas, a explicá-las ou, pelo menos, a torná-las claras.
Por tudo isto, tenho tido dificuldade em saber o que debitar aqui. Não se trata de uma crise criativa, não creio, mas apenas de uma questão de timing, de selecção...
Até porque as coisas que me têm ocorrido são sempre as mesmas – as taxas de juro que não param de subir, o caso Esmeralda, que me destrói, as consecutivas imbecilidades do L.F. Menezes e o caos no PSD, a vergonha desesperante e crescente do meu clube, este tempinho de merda que não nos larga...
Nada de novo, portanto. Peço-vos paciência.
Até já

Eu também...

...vou candidatar-me à liderança do PSD. Perdão, do PPD/PSD.

Não vou nada

Afinal já não me apetece.

Wednesday, April 16, 2008

Como eu a compreendo

Hoje, ao acordar, a minha filha chorou baba e ranho durante 10 minutos. Quem me dera ter a idade dela e poder fazer o mesmo.

Imbecil mais imbecil, não há

"Estava a caminho das urgências quando passei pela morgue e vi que estava lá grande parte do Benfica. Aí melhorei"...

E depois riem-se todos muito, como até os próprios jornalistas costumam fazer. Jornalistas, aliás, que este senhor voltou a insultar ontem. E que ficam muitas vezes barrados à porta do estádio onde este senhor manda. Mas riem-se, ele é muito engraçado.
O que eu acho mesmo engraçado é que, até com o meu clube na lama, eles nunca se esquecem dele.

Friday, April 11, 2008

Falta de gosto?

Hoje, ao chegar, estacionei atrás de um carro que tinha no vidro traseiro um daqueles autocolantes a alertar para a existência de petizes (gosto muito da palavra) no interior.
"Carlos e Diana a bordo". Desculpem, mas... com tanto nome... era preciso?... F...!

Thursday, April 10, 2008

Pós modernos

O arrumador aqui da zona é um senhor já entradote, educado, simpático e bastante falador. Hoje, ao chegar, chama-me:
– Ó menina, venha aqui!
– Bom dia! Diga...
(falando para o lado) – Vou perguntar a esta menina, que tenho muita estima por ela.
– Ó menina, este senhor está a dizer que os arrumadores não podem ter telemóvel, já viu? Acha que eu não tenho direito a ter telemóvel?
– Claro que tem! Ainda por cima está sempre na rua, tem de estar contactável!
– Vê, vê?? Olhe, às vezes ligam-me a perguntar "Ó senhor Zé, há aí algum lugar?"
– Olhe, isso é que é uma boa ideia!

(Já viram bem o luxo? Ir a caminho do trabalho e ligar ao arrumador para ver se há lugar? Ainda bem que trabalho em Matosinhos, porque, se bem se lembram e observam, no Porto não há arrumadores...)

Wednesday, April 9, 2008

Céu negro... e divinal


Isto é o que dá ter trabalhado tantos anos num sítio sem janelas...

Bruce Springsteen & Eddie Vedder - Better Man


Que dois...

U2 - Sometimes you can't make it on your own


Valha-me ao menos a música.

Tough, you think you’ve got the stuff
You’re telling me and anyone
You’re hard enough

You don’t have to put up a fight
You don’t have to always be right
Let me take some of the punches
For you tonight

Listen to me now
I need to let you know
You don’t have to go it alone

And it’s you when I look in the mirror
And it’s you when I don’t pick up the phone
Sometimes you can’t make it on your own

We fight all the time
You and I… that’s alright
We’re the same soul
I don’t need… I don’t need to hear you say
That if we weren’t so alike
You’d like me a whole lot more

Listen to me now
I need to let you know
You don’t have to go it alone

And it’s you when I look in the mirror
And it’s you when I don’t pick up the phone
Sometimes you can’t make it on your own

I know that we don’t talk
I’m sick of it all
Can - you - hear - me – when – I -
Sing, you’re the reason I sing
You’re the reason why the opera is in me…

Where are we now?
I’ve got to let you know
A house still doesn’t make a home
Don’t leave me here alone...

And it’s you when I look in the mirror
And it’s you that makes it hard to let go
Sometimes you can’t make it on your own
Sometimes you can’t make it
The best you can do is to fake it
Sometimes you can’t make it on your own

Silêncios

Pois, meus caros, não tenho sonhos destrambelhados para vos contar, não me apetece comentar actualidades e muito menos dizer coisas que não interessam a ninguém. Não gosto de ter esta minha casa sem palavras, é verdade, mas neste momento estou sem saber o que escrever. Eu bem disse, quando vieram aqueles magníficos dias de calor, que o mais provável era depois descompensarmos por causa do regresso do tempinho do Abril, "águas mil". Era mesmo verdade. Isto não pode fazer bem a ninguém. Por isso disse "descompensarmos". Espero rapidamente voltar ao normal. E compensar.

Thursday, April 3, 2008

Mais sonhos...

Para vocês verem o stress que eu sou – o que provavelmente já perceberam –, saibam, outra vez, que a minha cabeça não pára nunca. Porque quando estou acordada não consigo parar de pensar um minuto que seja e quando estou a dormir não descanso porque sonho consecutivamente. Um stress, bem vos disse. E nestes dias em que começo a contagem decrescente até à minha ida a Dublin a mente, claro está, já me prega partidas. Hoje sonhei que andava numa aflição desesperante porque não conseguia chegar ao aeroporto, sempre em ruelas que nunca vi, tudo cheio de trânsito, sem saber onde era. Nervos!! Depois cheguei finalmente em cima do fecho do check-in mas o meu bilhete não era cor-de-rosa e tinha de ser cor-de-rosa. E eu tinha de ir a casa buscar o outro. Mas não dava tempo. Ui o que eu chorei! Já não ia a Dublin. Mas, a certa altura, quando chorava desesperadamente, pensei "Não, não pode ser, eu estou é a sonhar"!... E acordei.

Verão antecipado

É realmente uma delícia, de um dia para o outro, sentir este calor quando abrimos a porta ou a janela, ser invadida por aquela vontade de ir apanhar sol, olhar o mar, pensar que o Inverno, que detesto, acabou...
Um simples dia como o de ontem, ou como o de hoje (ainda por cima vieram aos pares, que maravilha!) tem o incrível poder de abanar completamente o meu estado de espírito. Sou mesmo do calor e do sol...
Andava há uns dias sem escrever e tinha várias coisas em mente, mas, pensando bem, era tudo sobre coisas menos boas. De como o Menezes se enterra dia após dia, o infeliz, de como me chateia estar aqui no próximo fim-de-semana e ouvir buzinas e gente aos gritos, de como não pára de morrer gente assassinada, atropelada e estropiada nesta terrinha, de como amanhã vou ao dentista e detesto, de como me irritam as pessoas incompetentes, de, de, de. Só coisas más.
Mas não. Está um dia lindo e, só por isso, estou bem, apetece-me sorrir e esquecer por um bocadinho as coisas más. Até porque os dias maus voltam, já o sei, lá para domingo.

Tuesday, April 1, 2008

Ó pra ele!


Este momento, já ninguém mo tira! :)